6 dicas para não se estressar em sala de aula - Par

6 dicas para não se estressar em sala de aula

Por Amanda Viegas

28 de set de 2018 Bem-estar do professor

Qualquer rotina de trabalho pode ser estressante quando não se tomam os devidos cuidados com o bem-estar. Para os professores, porém, existem algumas particularidades que podem fazer com que evitar o estresse seja ainda mais difícil, principalmente em sala de aula.

O docente precisa planejar suas aulas fora do expediente - o que pode comprometer os momentos de lazer e descanso quando seu tempo é mal-administrado - e se relacionar diariamente com uma grande quantidade de jovens em formação, lidando com questões éticas e morais a todo momento.

Para evitar impactos na sua qualidade de vida e saúde, confira neste artigo 6 dicas de como não se estressar em sala de aula. Continue lendo!

 
 


 

 

Como não se estressar em sala de aula?

Aprenda a dizer não

Conduzir a relação com os alunos com mais informalidade e descontração pode fazer com que o aprendizado seja mais fluído. Entretanto, isso não quer dizer que o educador deva abdicar de sua autoridade.

Logo no começo do ano letivo é interessante abrir um diálogo e expor as regras, bem como as motivações de cada uma delas. Assim, o professor deixa claro desde o início o que espera dos estudantes, como obrigatoriedade de presença, necessidade de tarefas de casa, volume das conversas durante a aula ou em que momentos o uso do celular é permitido, por exemplo.

Tenha bom humor

Quem leciona para crianças e jovens sabe que eles estão em uma fase cheia de descobertas - e também de julgamentos. Por isso, uma solução pode ser encarar as piadas com certa naturalidade.

Se começarem a brincar com o corte de cabelo, o sotaque ou as roupas que o professor usa, pode ser vantajoso que ele entre no jogo e ria junto. Ainda assim, é fundamental se atentar ao excesso, quando a brincadeira se transforma em desrespeito ou quando percebe a ocorrência de bullying entre os alunos.

Converse com os colegas de trabalho

É comum que os professores de uma mesma instituição ou mesmo de escolas diferentes passem por situações muito similares em sala de aula. Conversar sobre os problemas cotidianos faz com que novas ideias de gerenciamento surjam, além de mostrar que muitos dos conflitos com os alunos não têm origem em atritos pessoais. Contar com o apoio dos colegas é um fator que dá mais segurança ao professor.

Crie grupos de estudo

Procurar formas de interação com os alunos que aconteçam também fora da sala de aula é outra proposta válida. Essa atitude fará com que o ambiente se torne mais descontraído e favorece o diálogo entre o professor e os estudantes, contribuindo para o desenvolvimento da turma e de uma relação de confiança.

Algumas ideias para garantir a interação fora de sala de aula para evitar o estresse não só do professor, mas também dos estudantes, são os grupos de estudos, mostras de trabalho, excursões ou mesmo atividades extraclasse.

Planeje a rotina pensando no bem-estar

Acordar muito cedo para dar a primeira aula do dia e seguir com um expediente intenso até o turno da noite é um dos desafios dos professores que pode ser muito prejudicial para a saúde. Isso faz com que as horas de descanso sejam colocadas de lado, sobretudo em momentos como o fechamento de uma etapa.

É importante ter em mente que uma situação de trabalho intenso não é sustentável a longo prazo. Sendo assim, é fundamental tentar equilibrar a vida pessoal ao montar a agenda, para que a saúde não fique em segundo plano.

Use a tecnologia a seu favor

Estar conectado é fundamental para acompanhar os alunos na internet. A tecnologia na educação possibilita que o professor proponha atividades interativas que fazem sentido para essa geração. Além disso, a web também pode te ajudar a ser mais efetivo no planejamento de aulas e no acompanhamento dos alunos.

Um exemplo de como isso pode ser feito são os simulados e testes, que podem ser propostos por meio de aplicativos que disponibilizam rapidamente os resultados e as estatísticas do desempenho dos alunos. Dessa forma, essas ferramentas deixam o tempo do docente livre para o planejamento de intervenções pedagógicas, no lugar da simples correção manual de questões de múltipla escolha. Seu papel torna-se, assim, mais estratégico.

Ainda que o educador sempre deva ter em mente a importância da sua profissão para a formação dos jovens, é preciso que ele se lembre também de que o seu trabalho depende do seu próprio bem-estar e disposição. Felizmente, existem aplicativos e ferramentas tecnológicas que podem ajudar o educador a gerir melhor o tempo. Reunimos 7 delas em um infográfico:


Fale com um
especialista

Converse com um especialista e saiba como a par pode ajudar sua escola a alcançar resultados pedagógicos cada vez melhores.

Aceito receber um contato do especialista da par por Whatsapp