Microteaching na formação continuada: o que é e como pode ajudar?

Microteaching na formação continuada: o que é e como pode ajudar?

Por Luísa França

18 de abr de 2018 Formação continuada

A formação continuada de professores é um tema cada vez mais presente no dia a dia da escola. Novas tendências têm surgido para ajudar os educadores a se desenvolverem continuamente, sendo o Microteaching uma das teorias que têm ganhado força nesse sentido.

Se você gostaria de criar uma cultura de formação continuada entre os professores da sua instituição, este artigo vai te ajudar!

O que é Microteaching?

Criada nos anos 60 pelo professor Dwight Allen, da universidade de Stanford, a teoria do Microteaching incentiva a gravação de pequenas sessões das aulas dos professores com o intuito de observar as estratégias utilizadas para transmitir seu conhecimento aos alunos.

Ao contrário do que pensa o senso comum, de acordo com essa teoria não é necessário assistir ou gravar toda a aula para se avaliar as estratégias do docente. Observando-se alguns minutos de aula já é possível perceber os pontos que o professor desenvolve de forma positiva e os pontos em que existem oportunidades de melhoria.

É interessante observar nesse processo o novo lugar que o professor pode ocupar. Acostumado a avaliar os alunos por meio de tarefas e provas, com o Microteaching ele também passa a ocupar uma posição de avaliado. Em muitas escolas hoje já existe uma prática em que os alunos também avaliam o trabalho dos professores. Entretanto, ainda é rara a avaliação do professor do ponto de vista técnico e pedagógico, principalmente pelo fato de que a coordenação pedagógica dedica muito tempo ao relacionamento com os estudantes e com a execução de todos os processos da escola. Esse novo lugar que o professor pode ocupar contribui muito para a entrega pedagógica da escola e oferece ao docente a oportunidade de desenvolver e melhorar sua prática de aula.

Assista ao bate-papo: A formação continuada e o planejamento escolar

Como o Microteaching pode ajudar o docente?

Existem aspectos importantes para a dinâmica das aulas que podem ser avaliados por meio do microteaching, como a oratória, a modulação de voz, a expressão corporal e o uso do quadro ou lousa. Além disso, a experiência do coordenador pedagógico, aliada a feedbacks construtivos para os professores, vai contribuir muito para que o aluno se sinta cada vez mais contemplado do ponto de vista de estratégias de ensino-aprendizagem que são utilizadas.

Por isso, a partir da dinâmica do Microteaching é muito importante reservar momentos para dar essa devolutiva aos professores, estabelecer de forma clara os pontos de melhoria e traçar metas para que a evolução seja constante.

Quais as vantagens do Microteaching?

Um dos pontos mais relevantes dessa metodologia é a sua viabilidade. Com um simples celular, por exemplo, o professor consegue filmar partes de suas aulas e enviá-las para o responsável da escola. Existem diversos meios para o envio, como WhatsApp, o próprio e-mail ou as plataformas digitais para hospedagem de vídeos.

Essa posição de avaliado que o professor pode ocupar dentro da escola, se encarada com o desejo de realmente melhorar as aulas, pode ser o primeiro passo para criar uma cultura de formação continuada na instituição. Isso porque as aulas são de fato o trabalho mais importante das escolas e, portanto, é necessário cuidar com carinho desses momentos, tanto para os alunos quanto para os professores.

Artigo escrito por Gabriel Assis,
Coordenador da área de Formação de Professores da Somos Educação

Já conhecia o Microteaching? O que achou dessa tendência da formação continuada? Conte para nós nos comentários!


Fale com um
especialista

Converse com um especialista e saiba como a par pode ajudar sua escola a alcançar resultados pedagógicos cada vez melhores.