Tudo o que você precisa saber sobre o SiSU - par Plataforma Educacional

Tudo o que você precisa saber sobre o SiSU

Por Luísa França

4 de jul de 2018 ENEM

SiSU, Fies e ProUni são algumas das nomenclaturas mais comuns de se ver e ouvir quando chega a época do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). No Brasil, a edição de 2017 do Exame teve um total de 7,6 milhões de inscritos.

O Exame possui um caráter individual e voluntário. A sua finalidade primordial é a avaliação do desempenho escolar e acadêmico do aluno ao final do Ensino Médio. O ENEM se compromete a aferir as habilidades necessárias para a prática da cidadania.

Desde a sua criação em 1998, o ENEM sofreu diversas mudanças e uma reestruturação completa ao longo dos anos. Em uma das reformulações mais significativas, o ENEM se tornou a principal porta de entrada para o Ensino Superior. Sendo assim, o Exame hoje dá oportunidade para que estudantes de diferentes regiões e condições sociais tenham acesso a uma educação superior de qualidade.

Dessa forma, os alunos podem concorrer a vagas de todo o Brasil pelo mesmo exame. Essa facilidade e quebra de fronteiras só é possível graças a um sistema informatizado, que permite que instituições públicas e privadas de Ensino Superior disponibilizem suas vagas e selecionem os alunos com base no seu desempenho no ENEM: o Sistema de Seleção Unificada (SiSU).

Para orientar os estudantes de forma adequada, os coordenadores e diretores pedagógicos precisam ficar atentos não apenas aos prazos de inscrição, mas a todo o funcionamento desse sistema, como:

  • notas de corte;
  • vagas de ampla concorrência;
  • ações afirmativas e classificação parcial.

As chamadas do SiSU acontecem duas vezes por ano, geralmente em janeiro e em junho ou julho.

Quer entender mais sobre o assunto? Então confira o nosso artigo!

Tudo o que você precisa saber sobre o SiSU

O que é o SiSU?

O SiSU (Sistema de Seleção Unificada) é um sistema informatizado e online gerenciado pelo MEC. Ele permite que as instituições públicas e privadas de Ensino Superior ofereçam vagas para todos os seus cursos de graduação aos candidatos que participaram da edição anterior do ENEM.

Desde que as universidades federais e estaduais mais conceituadas do Brasil aboliram os vestibulares para unificar o seu sistema de avaliação, o SiSU se tornou uma das formas mais relevantes para quem deseja ingressar em um curso superior.

Ao se inscrever no ENEM, o candidato recebe um número de inscrição e uma senha, que também dão acesso ao sistema do SiSU. Não há cobrança de qualquer taxa adicional. Portanto, o Exame e o sistema funcionam de maneira integrada.

É preciso ficar atento ao prazo de inscrições. O processo seletivo do SiSU é realizado duas vezes por ano, geralmente em janeiro e em junho ou julho — períodos que marcam o início do semestre letivo das instituições de Ensino Superior.

No site, o candidato pode ter acesso às instituições de todo o país e escolher aquela de seu interesse. Nesse momento, o aluno também deve escolher o tipo de concorrência: por vagas de políticas afirmativas – para afrodescendentes, indígenas e alunos que estudaram em uma instituição pública – ou por ampla concorrência.

Conforme as regras do programa, cada candidato pode escolher até dois cursos, um como primeira e outro como segunda opção.

Durante o período de oferta de vagas, o aluno deve ficar atento à nota de corte do curso pretendido para realizar sua inscrição, visto que ela pode mudar até o encerramento das inscrições. Isso porque o aluno somente será aprovado se ele tiver uma nota superior à nota de corte final. Por exemplo, se a nota de corte do curso de Medicina na Universidade Federal da Bahia (UFBA) for 700 no fechamento do período de oferta de vagas, o participante deve ter uma nota superior a essa para ingressar nessa opção, ainda que esta não tenha sido a nota de corte inicial.

A boa notícia é que se não for aprovado na sua primeira opção, o estudante ainda pode concorrer ao curso escolhido como segunda opção. Além disso, o SiSU oferece às instituições uma Lista de Espera, para o preenchimento das vagas não ocupadas nas chamadas regulares.

Após o período de inscrição no SiSU, basta ficar atento às chamadas regulares e da lista de espera. Os candidatos selecionados para as universidades terão um prazo determinado para efetuar a matrícula e garantir a vaga. Quem for selecionado na primeira chamada deve entrar em contato com a instituição de ensino para se informar sobre todo o processo de inscrições.

sisu-confirmar-inscricao

Como funciona o SiSU?

Muitos estudantes têm dificuldade de utilizar o SiSU, escolher o melhor curso e acompanhar a sua nota de corte. Por isso, é importante que os educadores entendam como funciona esse sistema online, para que auxiliem melhor esses estudantes a dar o primeiro passo para o ingresso em uma graduação.

Confira alguns elementos essenciais para entender o SiSU:

Concorrência

Nos cursos ofertados no SiSU, existem duas modalidades de concorrência:

  • ações afirmativas;
  • ampla concorrência.

Na política de ações afirmativas, algumas das vagas são reservadas para afrodescendentes, indígenas, egressos de escola pública, entre outros.

Em alguns casos, as universidades podem oferecer o bônus como ação afirmativa, de forma que uma pontuação extra é acrescida à nota do ENEM do candidato beneficiado, que concorre com sua nota final (nota do ENEM + bônus) com os candidatos inscritos em ampla concorrência.

Já a ampla concorrência é a opção que deve ser escolhida quando o aluno não se encaixa em nenhuma das ações afirmativas. Costuma ser a modalidade que possui mais vagas disponíveis.

Durante a inscrição, o candidato deve optar por apenas uma das modalidades. É preciso ter muito cuidado com essa escolha. O aluno é responsável por comprovar todos os pré-requisitos necessários para concorrer a uma vaga por ação afirmativa à universidade. Caso apresente alguma irregularidade, o acesso à vaga pode ser revogado.

Inscrições do SiSU

As inscrições no SiSU podem ser feitas duas vezes por ano, no início de cada semestre letivo.

Mesmo que um estudante tenha feito a prova do ENEM, isso não garantirá a sua participação no SiSU. É preciso ficar atento ao prazo de inscrições e se cadastrar com o mesmo número de inscrição e senha utilizados para o ENEM.

Passo a passo de inscrição do SiSU

  1. Acesso ao sistema - http://sisu.mec.gov.br/, entre 00h do dia de abertura das inscrições e 23h59 do dia de encerramento;
  2. Confirmação de dados - é necessário certificar que todos estão corretos e alterar os que estiverem errados;
  3. Pesquisa de cursos - a pesquisa pode ser feita por cidade e por instituição de ensino;
  4. Escolha de cursos - o estudante poderá escolher a primeira e a segunda opção, de acordo com o seu interesse. Também é possível conferir a quantidade de vagas disponíveis por ampla concorrência ou por ações afirmativas e as notas de corte;
  5. Confirmação da inscrição.

É possível alterar a inscrição?

Até o período de encerramento das inscrições, o candidato pode fazer quantas alterações achar necessário - tanto nas opções de cursos pretendidos, quanto nos locais onde deseja estudar. Após 23h59, o sistema impede qualquer alteração. É por isso que a nota de corte pode mudar ao longo do período de oferta de vagas.

Resultados do SiSU

O resultado do SiSU não é divulgado imediatamente após o fim das inscrições, mas ele pode ser consultado no Boletim de Acompanhamento no próprio portal, nas instituições participantes e na Central de Atendimento do MEC, pelo telefone 0800-616161.

Em caso de notas iguais, o primeiro quesito de desempate será a nota da redação. Isso mostra a importância de preparar bem os alunos no que diz respeito aos temas da atualidade, às regras gramaticais e à capacidade de argumentação. Depois os critérios seguem as notas das grandes áreas na seguinte ordem: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Caso seja aprovado, o candidato deve entrar em contato com a universidade para conferir os documentos necessários para matrícula, o prazo, o local e os horários. Na maioria das universidades esse processo é feito presencialmente.

Lista de Espera

Os estudantes que não forem aprovados na primeira ou na segunda opção dos cursos selecionados ainda têm uma chance de entrar na universidade por meio da Lista de Espera do SiSU.

"Após as chamadas regulares do processo seletivo, o SiSU disponibilizará às instituições participantes uma Lista de Espera a ser utilizada prioritariamente para preenchimento das vagas eventualmente não ocupadas. Para participar da Lista de Espera do SiSU, o candidato deve manifestar o interesse no prazo especificado no cronograma." - Fonte: Portal do SiSU

As chamadas são feitas a partir de uma data informada no SiSU — geralmente no dia em que o resultado da chamada regular é divulgado ou até que todas as vagas remanescentes sejam preenchidas. Para saber se foi convocado, o estudante deve entrar em contato com a universidade escolhida, já que o portal do SiSU divulga apenas os aprovados em primeira chamada.

Utilização de edições anteriores do ENEM

No momento em que o processo seletivo é aberto, o MEC divulga quais edições do ENEM serão aceitas na seleção.

sisu-opcoes-de-curso

Como é o sistema da nota de corte?

A nota de corte é um dos elementos que merecem atenção durante as inscrições. Ela é a menor nota necessária para ser selecionado para a vaga. O sistema verifica o desempenho no ENEM de todos os candidatos de um determinado curso e com base nisso determina a nota de corte.

Para muitos estudantes, mesmo depois de entender como a nota do ENEM é calculada ainda restam dúvidas se o desempenho garante uma classificação no curso desejado.

Muitos alunos acreditam que basta escolher o curso e pronto: é só esperar pelo resultado, como acontecem nos vestibulares comuns. Entretanto, a nota de corte não é fixa. Durante o período de inscrições no SiSU, ela é atualizada diariamente e pode mudar drasticamente de acordo com o número de vagas oferecidas, com o número de inscritos e com o seu desempenho.

É importante lembrar que ela não é atualizada em tempo real e sim uma vez por dia. Sendo assim, somente a partir do segundo dia do período de inscrições os candidatos podem ter acesso à nota de corte de um determinado curso de graduação.

Não há como prever se o desempenho do aluno no ENEM será suficiente para ingressar em uma determinada universidade ou curso de graduação. Quanto mais próximo do prazo final das inscrições no SiSU, maior a chance da nota de corte ser próxima da real.

Outro detalhe importante é que cada universidade pode adotar um peso diferente para as notas de cada grande área, de acordo com o curso. Por exemplo: a prova de Linguagens e Códigos pode ter um peso maior para Jornalismo do que para Engenharia em uma mesma universidade.

A nota de corte dos cursos geralmente varia muito de uma instituição para outra. No primeiro semestre de 2018, por exemplo, o curso de Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte teve, na ampla concorrência, uma nota de corte de 900,00. Já a mesma opção na Universidade Federal de Minas Gerais a nota foi 811,00 — quase 100 pontos a menos.

Mudanças recentes no SiSU

A partir de 2016, o Sistema de Seleção Unificada sofreu uma alteração no seu critério de desempate, por meio da Lei 13.184, sancionada na época pela então presidente Dilma Rousseff. Com a mudança, ficou determinado que candidatos que concorrem à mesma vaga de um curso de graduação e apresentam as mesmas notas no ENEM terão a sua renda avaliada.

No caso de empate no processo seletivo, as instituições públicas de Ensino Superior darão prioridade de matrícula ao candidato que comprove ter renda familiar inferior a dez salários mínimos, ou ao de menor renda familiar, quando mais de um candidato preencher o critério inicial.” - Lei 13.184

Uma alternativa recente oferecida pelo SiSU e que poucos estudantes conhecem é que é possível participar novamente do processo seletivo, mesmo que o aluno já tenha sido aprovado para uma vaga em uma universidade na primeira etapa da seleção.

Isso acontece porque muitos deles escolhem um curso, mas não conseguem se adaptar ou não encontram aquilo que esperavam na graduação. Com isso, quem foi para a graduação no primeiro semestre, mas não quiser continuar no curso, pode utilizar a mesma nota do ENEM para tentar ingressar em um novo curso ou em uma nova universidade.

Ter um bom desempenho no ENEM é somente o primeiro passo para quem deseja ingressar em uma universidade. Mesmo com uma reestruturação em vigor desde 2010, esse método de avaliação passou por tantas mudanças ao longo dos anos, que não é incomum se confundir com nomenclaturas ou etapas do processo de seleção.

O SiSU é uma das etapas mais importantes para conseguir a vaga dos sonhos. É nele que o estudante fará a escolha que irá direcionar sua jornada profissional.

A coordenação pedagógica deve ficar atenta a todo o seu funcionamento para garantir que os estudantes não apenas se saiam bem apenas no Exame, mas também não percam uma grande oportunidade por falta de informação.

A principal mudança no sistema em 2017 foi a flexibilização do cálculo das notas pelas universidades. Nas edições anteriores, as universidades determinavam notas mínimas e pesos para cada área do conhecimento da prova do ENEM. Além disso, desde de 2017 as instituições também podem determinar uma nota mínima para o exame em geral. Essa medida favorece alunos que não tiveram um desempenho muito bom em determinada área do conhecimento, mas que apresentaram uma boa média no ENEM como um todo.

As universidades podem escolher entre seguir o modelo antigo, que leva em consideração a nota em cada área do conhecimento; o modelo novo, que considera a nota no Exame como um todo; ou os dois.

Outras alternativas

Além do Sisu existem outras opções para que um estudante ingresse na universidade: por meio do ProUni, Fies e Sisutec.

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) é um programa de bolsas de estudos integrais ou parciais para ingresso em universidades particulares. Para participar, o estudante deve ter feito o ENEM com nota superior a 450 e não ter zerado a redação.

Quem cursou todo o Ensino Médio na rede pública de ensino ou na rede particular por meio de bolsas integrais também pode conseguir o benefício.

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um financiamento estudantil fornecido pelo Governo Federal que ajuda o aluno a pagar as despesas com a graduação.

Para participar, a instituição de ensino precisa ter uma avaliação positiva no MEC e o estudante deve cobrir alguns pré-requisitos, como ter renda mensal de até 2,5 salários-mínimos por membro da família, ter participado de alguma edição do ENEM desde 2010, ter obtido nota superior a 450 e não ter zerado a redação.

Sisutec

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) é para aqueles que concluíram o Ensino Médio em rede pública ou por meio de bolsas em escolas particulares, fizeram o ENEM e desejam ingressar em cursos de educação profissional tecnológica.

aprovados sisu

Ainda restam dúvidas sobre o SiSU? Comente abaixo que atualizaremos o conteúdo o mais rápido possível!


Fale com um
especialista

Converse com um especialista e saiba como a par pode ajudar sua escola a alcançar resultados pedagógicos cada vez melhores.