O uso da tecnologia na gestão escolar | par

O uso da tecnologia na gestão escolar

Por par

28 de out de 2019 Gestão Escolar

A tecnologia inovou, facilitou e permitiu muitas possibilidades nas ferramentas de gestão, e nas escolas não é diferente. Adotar a tecnologia na gestão escolar é, cada vez mais, um investimento garantido para dinamizar e agilizar tanto os processos do dia a dia quanto os projetos a médio e longo prazo.

O intuito das tecnologias é facilitar a vida dos gestores, coordenadores e professores e quanto mais abrangente for o seu alcance — isto é, quanto mais for usada por todos os membros da comunidade escolar —, maior poderá ser o seu impacto.

Neste artigo, você vai entender melhor quais são essas ferramentas, o que elas podem mudar na rotina escolar e como adotá-las. Continue lendo para saber mais!


 

 

A tecnologia como ferramenta de trabalho na gestão escolar

Assim como em praticamente todas as áreas de ação em todo o mundo, a tecnologia vem exercendo um papel fundamental não apenas para substituir o papel e garantir que informações sejam guardadas de forma mais eficaz, mas também para dinamizar a rotina e indicar em quais aspectos a produtividade pode ser aumentada. Além disso, permite gerar dados mais precisos e direcionados e também para aproximar pessoas que estejam envolvidas naquele trabalho.

Leia a seguir como a tecnologia pode impactar positivamente a gestão e os processos escolares.

Aumentar a eficácia e a produtividade nos processos

Boa parte dos processos diários da escola envolve questões burocráticas, geralmente realizadas pela secretaria: acompanhamento de provas e trabalhos, emissão de documentos, gerenciamento de recursos, emissão de boletos de mensalidade, entre vários outros.

No papel, esses processos podem ser muito mais demorados. Com a implementação de ferramentas de gerenciamento e acompanhamento, é possível automatizar muitos deles, e mesmo os que ainda exigirem um acompanhamento direto por um funcionário podem ser otimizados e acelerados.

Um ponto positivo de usar a tecnologia nesses processos é que os dados gerados ajudam o gestor a entender onde estão os entraves para torná-los mais eficazes e rápidos, auxiliando na tomada de decisão.

Acompanhar o desempenho pessoal dos alunos

O acompanhamento de entrega de atividades, trabalhos e provas pode ser medido com mais eficiência por meio de várias ferramentas tecnológicas, assim como o desempenho pessoal de cada aluno. Implementar mecanismos que captem os dados de aprendizado dos alunos, como disciplinas em que cada um erra ou acerta mais questões, ajuda professores e coordenação a entenderem onde os alunos estão tendo problemas. Isso possibilita um diagnóstico rápido que pode levar a uma tomada de decisão pedagógica mais veloz e precisa.

Gerar indicadores de gestão e de desempenho

Uma vez que haja uma plataforma ou ferramenta de acompanhamento de tarefas e projetos, é possível automatizar e simplificar tudo, até mesmo a elaboração de indicadores de desempenho dos funcionários. As informações que vêm do cotidiano da escola podem ser sistematizadas por meio da tecnologia. Cada funcionário deve ser treinado para saber utilizar essa tecnologia para registrar o que acontece, em quanto tempo acontece e quais dificuldades ou facilidades encontram.

Por exemplo: o sistema da biblioteca pode ser atualizado constantemente, em tempo real, indicando quantos e quais livros são retirados, quais alunos passam muito tempo na biblioteca e quais nunca vão até ela. Essas informações podem gerar indicadores e gráficos instantâneos sobre como a biblioteca vem sendo utilizada pelos alunos.

Já na secretaria, por exemplo, os funcionários podem preencher quais tarefas são realizadas dia a dia, quais demandam mais ou menos tempo, gerando indicadores de performance que mostrem quais são os entraves para uma gestão mais dinâmica e eficaz, quais processos estão ultrapassados e podem ser agilizados, e se é necessária uma reformulação mais profunda em algum deles.

Gerar economia de materiais e recursos

Trazer os processos burocráticos para o digital, com armazenamento na nuvem, é essencial para economizar com papeis, tintas e impressoras, além de garantir que os arquivos sejam acessados de forma fácil e organizada, sem precisar procurar em pastas gigantes e intermináveis. Isso garante também economia com materiais de papelaria de uso cotidiano, como canetas, clipes, entre outros.

Criar uma relação próxima com pais e responsáveis

As redes sociais e o e-mail podem ser formas fáceis de comunicação com pais e responsáveis dos alunos, muito mais eficazes do que cartas ou comunicados impressos que talvez acabem esquecidos no fundo da mochila. Uma boa forma de engajar os pais e mantê-los próximos dos seus filhos na vida escolar é fazer esse contato pessoal mais direto.

A tecnologia na sala de aula

Não apenas a gestão e os processos podem ser facilitados pela tecnologia, mas também a aprendizagem como um todo. Os jovens estudantes de hoje são nativos digitais, ou seja, nasceram e cresceram totalmente rodeados pela tecnologia. Afastar da sala de aula celulares e computadores, algo que antes parecia ser a melhor opção para evitar distrações, hoje parece cada vez mais contraprodutivo.

Trazer a tecnologia para a sala de aula nas atividades pedagógicas pode ser um dos melhores fatores de engajamento, e ainda traz muitas novas possibilidades para o professor acompanhar a evolução e o desempenho dos alunos.

A tecnologia pode ser implementada com o uso dos próprios aparelhos dos estudantes como acessórios de apoio, facilitando pesquisas e atividades em sala de aula, passando pela aplicação de simulados e provas online, dando acesso a resultados imediatos, chegando ao uso de livro digital e a jogos educativos.

Essas atividades mediadas pela tecnologia ajudam o professor a engajar seus estudantes e medir melhor seu desempenho: um simulado online, ou uma outra atividade realizada em meios digitais geram dados sobre o que a turma está errando e acertando mais, quais são suas maiores dificuldades e onde o raciocínio “trava”, que tipo de atividade causa mais retorno de aprendizagem, entre outros.

Jogos educativos e recursos multimídia, combinados com o uso de livros digitais e PDFs de apoio, ajudam a trazer a escola para mais perto da realidade do aluno, que tende a se interessar mais quando consegue interagir de forma natural com o material. Esse é um dos objetivos de uma implantação adequada da tecnologia nas metodologias da escola.

Os desafios da tecnologia na gestão escolar

Relatamos dois tipos de uso da tecnologia no contexto da escola: nos processos e na gestão direta, e na sala de aula com os alunos.

No primeiro caso, os gestores podem encontrar desafios mais relacionados à adaptação: os funcionários talvez tenham mais dificuldades para mudar a forma de trabalhar, ou até podem não entender muito bem o propósito das mudanças. Para evitar esses problemas, é importante promover pelo tempo que for necessário algum tipo de suporte para essa adaptação. Workshops de imersão para aprender a usar as novas ferramentas são soluções aplicáveis nesse sentido, evitando mais gastos posteriores.

Na sala de aula com os alunos, os problemas podem ser um pouco mais complexos de lidar. Assim como a tecnologia dinamiza e permite a inovação em classe, pode também potencializar consequências de maus hábitos no uso, como vício em tecnologia, distrações em excesso que prejudicam a concentração e o aprendizado, ou até o isolamento social que a tecnologia pode causar em alunos mais tímidos, que tendem a usá-la como escape.

Para esses problemas, o mais importante é, antes de tudo, saber dosar qual será o nível de uso dos aparelhos dentro da sala, de modo que seja saudável e promova o respeito aos limites impostos. Por outro lado, a escola deve reconhecer sua responsabilidade em se antecipar para evitar esses problemas. Adicionar na programação escolar algumas atividades, palestras e até aulas sobre cidadania digital são medidas certeiras, debatendo o uso ético da internet e das redes sociais, os limites saudáveis da dependência que temos com a tecnologia e como os alunos e a comunidade escolar podem se engajar para tornar o uso consciente um hábito.

Conclusão

A gestão escolar tem muito a ganhar com a tecnologia: mais dados para decisões assertivas, economia de tempo e de materiais, informações rápidas e precisas em poucos segundos, processos mais rápidos, dinâmicos e menos burocráticos. Na sala de aula, é mais engajamento, maior possibilidade de acompanhamento do desempenho dos alunos, atividades mais interessantes e pedagogicamente bem fundamentadas.

Ainda que haja alguns entraves e desafios a serem superados, investir na tecnologia na gestão escolar é um investimento sem riscos e sem possibilidade de mau retorno. A escola não deve e nem pode ficar à parte do restante do mundo. Trazer essa inovação para dentro do seio escolar é trazer os estudantes para ainda mais perto e proporcionar a eles uma educação moderna e focada em potencializar seu desempenho.

 

Este artigo é uma parceria do Conecte Live com a par. Clique aqui e saiba mais sobre como a tecnologia está presente no Conecte Live!


Fale com um
especialista

Converse com um especialista e saiba como a par pode ajudar sua escola a alcançar resultados pedagógicos cada vez melhores.

Aceito receber um contato do especialista da par por Whatsapp